O pagador de promessas

domingo, 22 de novembro de 2009

O livro O pagador de promessas, de Dias Gomes (1922-1999), é uma peça teatral que conta a história de Zé-do-Burro, um homem do campo que faz uma promessa à Santa Bárbara quando o animal de estimação se fere gravemente com a queda de uma árvore durante um temporal.

A promessa consiste em doar uma parte das terras aos sem-terra e depois carregar nas costas uma cruz tão pesada quanto a de Jesus Cristo, indo do vilarejo até a capital baiana, em um percurso de 42 quilômetros a pé, para colocá-la no altar da Igreja Santa Bárbara, justamente, no dia festivo da Santa.

Rosa, a esposa “sangue quente”, o acompanha nesta peregrinação, uma vez que o animal recupera a saúde. Porém, ao longo do enredo, ela se engraça com Bonitão, o cafetão, o primeiro a oferecer ajuda (com segundas intenções) ao casal, no amanhecer do dia, indicando-lhes um hotel para descanso e alimentação.

Por teimosia e ingenuidade, Zé-do-Burro não aceita tal convite. Ele quer cumprir a promessa até o fim. E, por isso, ele não pode deixar a cruz sozinha na praça, pois, a intenção é levá-la para dentro da Igreja, que está fechada naquela hora da manhã. Porém, ele permite que Rosa se vá com Bonitão... e aí...

Enquanto Bonitão conquista Rosa, Zé-do-Burro conversa com Padre Olavo sobre a promessa. Porém, este lhe nega a entrada à Igreja porque a promessa havia sido feita à Iansã em um terreiro de candomblé, que, para Zé-do-Burro, é a Santa Bárbara da religião católica.

Diante da resistência ferrenha do Padre Olavo, Zé-do-Burro permanece na praça junto da cruz durante toda trama. E, assim, a população local se volta para o pagador de promessas com a finalidade de aproveitar a situação financeiramente, como, por exemplo: o Repórter e o Fotógrafo que querem vender mais jornais com a manchete sensacional, o Galego que quer aumentar a freguesia da vendola, o Guarda que quer “mostrar serviço” às autoridades locais prendendo um elemento tido como agitador... até que o Delegado mata Zé-do-Burro com um tiro!

***

Além da leitura, que tal assistir também ao filme? O pagador de promessas foi roteirizado para o cinema em 1962. Sob a direção de Anselmo Duarte, os atores Leonardo Villar e Glória Menezes assumem os papéis de Zé-do-Burro e sua mulher Rosa, respectivamente.

3 comentários:

  1. Adorei seu blog! Encontrei-o como participante do Desafio Literário 2010 e resolvi te add.

    Quando puder, me faça uma visitinha!
    http://livrosdebia.blogspot.com

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Que luxo este blog! Adorei!
    Quero participar do desafio, mas ainda não pensei nos títulos.

    habitos-malos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Meninas, obrigada pela visita!

    Já estou seguindo seus blogs.

    Beijos, bom fim de semana!

    ResponderExcluir

Entre aspas

A palavra amor é um eufemismo para abrandar um pouco a verdade ferina da palavra cio.
Fisiologicamente, verdadeiramente, amor e cio vêm a ser uma coisa só.
(Júlio Ribeiro, 1845-1890)

Seguidores

Últimos Comentários

©LEITURA DO MOMENTO

Todos os Direitos Reservados