Ardente Paciência

domingo, 3 de janeiro de 2010

Após assistir ao filme O carteiro e o poeta, do diretor Michael Radford, corri à biblioteca em busca do livro que serviu como fonte de inspiração para este romance melancólico, lançado em 1994, na Itália. Trata-se do livro Ardente Paciência, do autor chileno Antonio Skarmeta (1940-), publicado em 1985.

No filme, os atores Massimo Troisi e Philippe Noiret vivem o carteiro Mario Ruoppolo e o poeta Pablo Neruda, respectivamente, e a história conta a amizade surgida entre o carteiro e o poeta, quando este se exila na Itália, por conta da repressão no Chile.

Mario Ruoppolo, filho de pescador, descontente com a vida no mar, é contratado pela única agência de correio de uma pacata Ilha do Mar Mediterrâneo para servir exclusivamente ao poeta Pablo Neruda, entregando-lhe cartas, encomendas e telegramas.

Beatrice Russo é por quem o carteiro se apaixona. E, por conta disso, ele quer aprender a escrever poesias para conquistá-la. Para tanto, ele se aproxima de Pablo Neruda, se enche de coragem e pede que o poeta lhe ensine a arte de (d)escrever sentimentos e emoções.

Assim surge uma amizade verdadeira, sólida e fiel. Pablo Neruda ensina ao carteiro que para escrever poesias é preciso de uma mulher como fonte de inspiração e da magia da natureza para expressar os sentimentos e as emoções por meio de metáforas, as quais formam a essência poética.

Ao findar a história, Mario Ruoppolo conquista Beatrice Russo. Pablo Neruda e sua mulher Matilde Urrutia apadrinham o casamento deles e regressam ao Chile. Mas, por infelicidade, Mario Ruoppolo morre numa manifestação comunista, sem conhecer seu filho Pablito.

Já o poeta, continua sua militância política e poética pelo mundo afora, sempre ao lado de Matilde, sua musa e fonte de inspiração...

***

No livro Ardente Paciência, de Antonio Skarmeta, percebe-se que há algumas diferenças marcantes no enredo em relação à roteirização do filme O carteiro e o poeta. O carteiro chama-se Mário Jiménez e Beatriz González é por quem ele se apaixona.

Já a história se passa em Ilha Negra, no Chile, e conta as andanças do poeta Pablo Neruda, desde a sua nomeação como Embaixador do Chile na França, no governo de Salvador Allende (1970-1973), passando pela indicação ao Prêmio Nobel de Literatura (1971), até sua morte em 1973.

5 comentários:

  1. Eu gosto bem mais do livro do que do filme. Até já visitei a casa do Pablo Neruda, em Isla Negra.

    Um ótimo 2010! =)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Tem uma brincadeira lá no meu blog!
    Gostaria que você participasse! Não é selinho!

    Bjs
    Bia
    Livros de Bia

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    pelo que me parece, O filme é baseado em Pablo Neruda, certo?
    Aline

    ResponderExcluir
  4. Meninas, obrigada pelos comentários!

    Sim, Nina. O filme "O carteiro e o poeta" foi baseado neste livro.

    Eu AMEI os dois: filme e livro.

    Beijos, bom fim de semana!

    ResponderExcluir

Entre aspas

A palavra amor é um eufemismo para abrandar um pouco a verdade ferina da palavra cio.
Fisiologicamente, verdadeiramente, amor e cio vêm a ser uma coisa só.
(Júlio Ribeiro, 1845-1890)

Seguidores

Últimos Comentários

©LEITURA DO MOMENTO

Todos os Direitos Reservados