Memória de minhas putas tristes

domingo, 25 de abril de 2010

Publicado pela Editora Record, Memória de minhas putas tristes, de Gabriel García Márquez (1928-), é um romance narrado pelo participante da trama: um velho jornalista que, na véspera de completar 90 anos, deseja se presentear com “uma noite de amor louco com uma adolescente virgem”.

Para isso, ele procura por Rosa Cabarcas, uma cafetina viúva, dona de um bordel clandestino, que lhe arranja uma menina de 14 anos que trabalha numa fábrica de camisas, pregando botões, para ajudar no sustento da família.

Embora o ato sexual não se consuma de fato durante todo enredo, o velho jornalista descobre o amor ao observar silenciosamente a menina - a quem ele chama de Delgadina, dormindo feito um anjo. E, ao invés de desvirginá-la, ele prefere preservar sua pureza em nome deste amor que, para ele, é verdadeiro.





O Blog Romance Gracinha propôs a leitura de um livro de escritor latino-americano para o Desafio Literário 2010 do mês de abril. Nesta gincana entre blogueiros, o objetivo é ler 12 livros, sendo um por mês e de gêneros literários diferentes. Em maio, os participantes devem ler um livro chick-lit. Até lá!

6 comentários:

  1. Eu escolhi este livro porque é o retorno triunfal de Gabriel García Márquez após 10 anos de jejum literário no gênero ficção.

    A leitura foi muito rápida. Eu li em um dia apenas, num domingo daqueles em que não se tem nada para fazer, sabem?

    Numa escala de 01 a 05, minha nota para este livro é 03. Embora a construção textual seja sutil e o vocabulário muito rico, é um livro que trata dos temas prostituição infantil e pedofilia, o que não me agrada.

    Para mim, há outros livros do mesmo autor muito melhores: Relato de um náufrago, Notícias de um seqüestro, Crônica de uma morte anunciada, A aventura de Miguel Littin clandestino no Chile, os quais eu li e recomendo!

    Cem anos de solidão - que é o livro que rendeu ao escritor o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 - ainda está na listinha de leituras por fazer...

    ResponderExcluir
  2. Não é o meu preferido dele, mas gostei. Também comecei a ler e não consegui mais parar. No final do dia já estava terminado.

    ResponderExcluir
  3. Bem lembrado, Dani! È a volta do gênio, né? Enfim, mesmo não sendo sua grande obra, eu quero muito ler esse livro também. Como sempre, uma ótima participação a sua.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Daniela, tb escolhi este livro para este mês e tb não gostei mto. Acho que principalmente pelo tema que ele trata, como tu colocou, mas tb pq não consegui empatizar com o velho em nenhum momento... Bom, com certeza existem outros livros do Gabriel que valem a pena ler, mas escolhi um que não me agradou, o jeito é tentar de novo... heheheh O que está na minha lista é o Amor nos Tempos do Cólera. Um Bjo e parabéns pela resenha, foi bom encontrar alguém com uma opinião próxima da minha.

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante deste livro! É curto, e quando comecei a lê-lo não conseguia mais parar! Achei a história bonita e de uma sensibilidade muito grande. Ainda que a pedofilia e a prostituição apareçam como tema, algumas passagens são relatadas com muita delicadeza e sentimento, chega a ser contraditório e belo.

    Bjo!

    Aline - escrevendoloucamente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Meninas, obrigada pelos comentários.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Entre aspas

A palavra amor é um eufemismo para abrandar um pouco a verdade ferina da palavra cio.
Fisiologicamente, verdadeiramente, amor e cio vêm a ser uma coisa só.
(Júlio Ribeiro, 1845-1890)

Seguidores

Últimos Comentários

©LEITURA DO MOMENTO

Todos os Direitos Reservados