Clarissa

domingo, 9 de janeiro de 2011

Clarissa (Editora Globo; 197 páginas) é o primeiro romance de Érico Veríssimo, publicado em 1933, cuja trama se desenvolve na Porto Alegre dos anos 30, período em que o totalitarismo eclode em todo o mundo: Hitler, na Alemanha; Mussolini, na Itália; Salazar, em Portugal; Franco, na Espanha; Stálin, na antiga União Soviética; e Vargas, no Brasil.

A personagem-título, Clarissa, é uma menina de 13 anos, filha de fazendeiros, que emigra do interior para estudar na cidade grande. Ela mora na pensão da tia Zina e do tio Couto, junto de outros hóspedes e dos criados. No seu universo restrito entre casa-escola, o único passeio permitido é ir à igreja acompanhada da tia.

Revelando-se uma menina “com juízo”, ao contrário da namoradeira Dudu, Clarissa almeja usar sapatos com salto alto tão logo complete 14 anos [a mãe lhe dera permissão], afinal os adultos precisam notar a transformação da menina-moça. Além disso, ela quer desvendar os mistérios da vida, com todos os seus encantos e desencantos, ao lado de um “príncipe”.

Mergulhada em seus sonhos, Clarissa percebe que, a partir dos acontecimentos cotidianos durante aquele ano na pensão, ela é incapaz de compreender as razões de tanta injustiça, como: a traição de Ondina e Nestor; o desemprego de Couto; a deficiência física de Tonico; a pobreza de Dona Tatá em contraste com a riqueza do Dr. Maia - que são vizinhos; a intolerância religiosa de Levinsky... enfim.

Como a vida dos hóspedes da pensão da tia Zina estão entrelaçadas e Clarissa é a presença contínua ao longo de todo enredo, Amaro se destaca entre os personagens secundários por sua misteriosidade e tristeza. Observando Clarissa, correndo pelo jardim, da janela do seu quarto, Amaro percebe que se apaixonou tardiamente, aos 40 anos.

Será que Clarissa, na sua inocência e pureza, em algum momento percebe este amor tão platônico?

***

Minha opinião: “O romance é adocicado, de leitura agradável. Retrata todo o conservadorismo educacional da época. As meninas não podiam gozar a liberdade como os meninos. Os pais preocupavam-se com o que os Outros poderiam falar de suas filhas se elas não fossem ‘direitas’. Tão restritos quanto às atitudes, os diálogos entre pais e filhos eram inexistentes. Daí, os sentimentos mais íntimos como os de Clarissa eram interiorizados, isto é, mantidos apenas em pensamento. A Clarissa de hoje seria muito mais esperta e travessa”.


O Blog Romance Gracinha propôs a leitura de um livro infanto-juvenil para o Desafio Literário 2011 do mês de janeiro. Nesta gincana entre blogueiros, o objetivo é ler, no mínimo, 12 livros de gêneros literários diferentes. Em fevereiro, os participantes devem ler uma biografia.

14 comentários:

  1. "Clarissa" deve ser muito interessante, é muito legal comparar situações de décadas passadas com atuais. Para alguns jovens de hoje, a Clarissa que espera ter 14 anos para usar salto alto deve ser uma aberração!
    Ótima resenha!
    Beijos,
    Vivi
    http://livrosdavivi.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. E' uma delicia ler Erico Verissimo!!! Parabens pela escolha. beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, Danizinha. Li Clarissa na infância. Livro maravilhoso, profundo e delicado que despertou minha admiração por Erico Veríssimo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Danizinha! Que livro legal vc escolheu para o desafio! Me lembro ter lido algo a respeito desse livro quando era mais nova... Parece ser uma leitura super gostosa!
    Bjss, boa semana!! :)

    ResponderExcluir
  5. Li Clarissa na escola, mas faz tempo...
    Parabéns por escolher um autor brazuca e dos melhores, diga-se de passagem!

    Abs, Rê

    ResponderExcluir
  6. só no tempo do colégio mesmo hahaha, mas qualquer hora quero ler um livro dela, relembrar os bons tempos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Li esse livro para o vestibular, muito tempo atrás. Preciso reler, mas pelo que me lembro, gostei muito da história, do amor, dos mistérios!

    :)
    @nine_stecanella
    http://janinestecanella.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Dani!

    Me parece uma leitura cansativa, apesar das poucas páginas.

    Já meus livros para o desafio de janeiro, mas cadê a vontade de fazer as resenhas... ando tão preguiçosa! rsrsr

    um beijoo

    ResponderExcluir
  9. Nossa li a tanto tempo que não me lembrava de quase nada, esse livro é muito legal, lembro que quando li, gostei bastante!

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pelos comentários, meninas!

    Realmente, Clarissa é um livro dos tempos de colégio, mas eu não havia lido como todos os outros clássicos. Que vergonha!

    Adorei ter lido o primeiro romance do Érico Veríssimo e agora sigo na leitura das outras obras do mesmo autor, em ordem cronológica.

    Não é nem um pouco cansativo. Pelo contrário, é uma delícia!

    Beijo! Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Ah eu amo Clarissa, foi a primeira obra de Érico Verissimo que li, nem sei quantas releituas já fiz, é bem como tu dissestes, uma leitura doce. Legal que tu vais ler a obra do Érico em ordem cronológica, é uma obra magnífica!
    estrelinhas coloridas..

    ResponderExcluir
  12. Muito boa a resenha, fiquei cheia de vontade de ler este livro. Entrou na lista. Obrigada.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  13. Eu li Clarissa pela primeira vez lá pelos 13 anos e depois disso mais algumas vezes, hoje o que mais me atrai e ver o comportamento da época comparado com o de hoje. Ótima escolha!
    abs
    Jussara

    ResponderExcluir

Entre aspas

A palavra amor é um eufemismo para abrandar um pouco a verdade ferina da palavra cio.
Fisiologicamente, verdadeiramente, amor e cio vêm a ser uma coisa só.
(Júlio Ribeiro, 1845-1890)

Seguidores

Últimos Comentários

©LEITURA DO MOMENTO

Todos os Direitos Reservados