Água para elefantes

domingo, 20 de novembro de 2011

RES-PEI-TÁ-VEL PÚ-BLI-CO, O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA VAI CO-ME-ÇAR!

Em Água para elefantes (Editora Arqueiro; 272 páginas), de Sara Gruen, o universo circense é revelado ao leitor pelos olhos do ancião Jacob Jankowski, cujo passado fora mantido em segredo desde que ficara viúvo e passara a viver em um asilo junto de outros idosos. Até que, certo dia, um circo é instalado próximo à casa de repouso e Jacob revive, então, a sua história.

Lá pelos anos 30, depois que os seus pais morreram em um grave acidente de carro, Jacob abandonou os estudos e perambulou pela cidade e seus arredores, sem destino. Foi passando por uma estrada de ferro que ele avistou um trem e decidiu pular para dentro dele ainda em movimento. Tratava-se do “Esquadrão Voador do Circo Irmãos Benzini”.

Por seu conhecimento médico-veterinário, logo ele é admitido para cuidar dos animais do circo. Mas o tempo todo, ele tem que enfrentar seus rivais pelas condições desumanas de trabalho e pelos maus tratos aos animais: o tirano Tio Al, o dono do circo, e o bipolar August, chefe do setor dos animais e marido de Marlena, a Encantadora dos Cavalos, por quem Jacob se apaixona e se alia.

É neste ambiente circense, mágico e cruel, entre uma apresentação e outra, que Jacob se dedica com afeição aos animais, principalmente, Rosie, a elefanta que deveria ser a salvação financeira do circo, mas que, por sua desobediência, é impossível o adestramento. Junto de Marlena e Rosie, Jacob precisa superar os obstáculos para garantir a sua sobrevivência ao lado de suas paixões.

***

Leia um trecho do livro.

***

Água para elefantes foi adaptado para o cinema neste ano. Os atores Robert Pattinson, Reese Whiterspoon e Christoph Waltz dão vida aos personagens Jacob, Marlena e August, respectivamente.

***

Minha opinião: “A história é triste e linda, ao mesmo tempo. Explico: é triste porque foi impossível lê-la sem pensar na proteção dos animais circenses devido às cenas de maus tratos. Também fiquei sensibilizada com as cenas do asilo, destacando àquela em que Jacob fica sozinho enquanto todos os outros idosos vão passear no circo com suas famílias. A história é linda porque, como em toda história de amor, a intensa união do casal, ou melhor, o encontro das almas-gêmeas supera quaisquer adversidades da vida”.

4 comentários:

  1. Oi, Dani,

    Eu quero ler esse livro, mas primeiro tenho que ler o que tá na fila.

    beijoO

    ResponderExcluir
  2. Oi Daniela, este livro é muito bom, pena que eu ainda não o li. Morro de pena de elefante em circo e acho que vou chorar muito, kkk
    bju

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani... Tudo bem? Nossa! Estávamos falando desse livro ontem! Não li ainda, mas esse esta na lista dos livros que devem ser lidos quando estamos naquela fase em que estamos transbordando felicidade. As estórias que nos emocionam normalmete vem cercadas por um momento de auto critica. Isso que vc falou mesmo, como ler sem pensar nos animais?
    Por isso estórias como essas devem ser lidas quando estamos estamos felizes e emocional ente bem, pois assim podemos fazer mais do que PENSAR nos animais, aí sim podemos dar uma ajuda REAL aos temas pertinentes.
    De qualquer forma, é uma ótima dica e deve sim entrar pra nossa estante no SKOOB!
    Brigadinha....
    Adoro seu blog
    Caca

    ResponderExcluir
  4. Não li o livro mas vi o filme recentemente e comentei lá no blog...

    ResponderExcluir

Entre aspas

A palavra amor é um eufemismo para abrandar um pouco a verdade ferina da palavra cio.
Fisiologicamente, verdadeiramente, amor e cio vêm a ser uma coisa só.
(Júlio Ribeiro, 1845-1890)

Seguidores

Últimos Comentários

©LEITURA DO MOMENTO

Todos os Direitos Reservados